domingo, 19 de julho de 2009

Falar palavrões pode aliviar a dor física, diz estudo.

Falar palavrões pode ajudar a diminuir a sensação de dor física, segundo um estudo da Escola de Psicologia da Universidade de Keele, na Inglaterra, publicado pela revista especializada NeuroReport.

No estudo, liderado pelo psicólogo Richard Stephens, 64 voluntários colocaram suas mãos em baldes de água cheios de gelo, enquanto falavam um palavrão escolhido por eles.

Em seguida, os mesmos voluntários deveriam repetir a experiência, mas em vez de dizer palavrões, deveriam escolher uma palavra normalmente usada para descrever uma mesa.

Enquanto falavam palavrões, os voluntários suportaram a dor por 40 segundos a mais, em média. Seu relato também demonstrou que eles sentiram menos dor enquanto falavam palavrões. O batimento cardíaco dos voluntários foi medido durante a experiência e se mostrou mais acelerado quando eles falavam palavrões.

O que está claro é que falar palavrões provoca não apenas uma resposta emocional, mas também uma resposta física, o que pode explicar por que a prática de falar palavrões existe há séculos e persiste até hoje, afirma o estudo.

_____________________________________________________

Pronto. Agora temos embasamento científico pra xingar. Não que eu não soubesse disso tudo anteriormente, mas me sinto mais bem referenciado quando mando o dentista tomar no cu.

Por isso que eu adoro cientistas desocupados. Que me adianta saber a "Taxa do sedentarismo crônico associado às dietas corriqueiras do Herbalaife pelos anciões pernetas da região meso-co-cêntrica de Itapecerica da Serra"?
EU QUERO ALGUÉM QUE ME JUSTIFIQUE UMA P#@$% DE UM FIL&#@ DA P$£¢ DE UM PALAVRÃO!

Me sinto muito mais acadêmico-argumentativo a partir de agora.

3 comentários:

Cristal - a louca. disse...

PORRA, CARALHO!
porque não me avisaram dessa merda antes????
rs
Beijundas ^^

Rê :) disse...

bah... vou começar a falar palavrão a cada 1 minuto.

e dentista tem mais é que se f*** mesmo.

Priscila Lopes disse...

Hum, eu liberei alguns palavrões tentando ler a notícia naquela fonte minúscula.